1

1
Vento nunca levará a História e as memórias!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Máquina tricotar...ERKA

Em 1960 era publicitada esta máquina de tricotar.
Simples e muito elucidativo.
...Quando agora tanto se advoga o regresso ao passado, "faça agricultura, vá à pesca"...tricote também!

Hélio Matias

domingo, 24 de fevereiro de 2013

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Azulejos da Nazaré - Estação Caminho de Ferro

Este é mais um dos paineis de azulejos presente, e por enquanto intacto, na Estação do Caminho de Ferro.
Tem a data de 1929 e foi construído na Fábrica Aleluia de Aveiro.
A imagem representa a fachada principal do Santuário de Nossa Senhora da Nazaré, no Sítio.
Tema imensas vezes reproduzido em Cartofilia, é o centro das festas religiosas/profanas que se iniciam no dia 8 de Setembro – feriado municipal – e que se prolongam por cerca de 8 dias.
Há uma componente religiosa que atrai imensos crentes das regiões limítrofes, que se organizam em círios e...uma outra profana, onde se desenvolvem actividades próprias dum arraial,feira,espectáculos tauromaquicos,etc.
Tudo se desenvolvia nas proximidades e ao redor do santuário...embora haja hoje algumas alterações.
Enfim o painel continua a desempenhar a sua missão de embelezamento da nossa Estação, pouco visitada hoje e...tudo abandonado como está, até quando se manterá!?

Hélio Matias

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Quem discute

Leonardo da Vinci (1452-1519), pintor, escultor e cientista italiano
in Público


Hélio Matias

Azulejos da Estação do Caminho de Ferro - Mosteiro de Alcobaça


A Estação do Caminho de Ferro do Valado apresenta um conjunto de grande "riqueza" cultural e arquitectónica, composto por paineis de azulejos a representar lugares com os quais o Valado apresenta desde sempre envolvência, concretamente Nazaré - Sítio e Alcobaça.
A imagem hoje colocada mostra uma vista da fachada principal do Mosteiro de Alcobaça, em azulejos oriundos da Fábrica Aleluia de Aveiro datados de 1929.
Com muitas décadas, sempre expostos à intempérie e...sujeitos a todo o tipo de agressões das próprias pessoas, os azulejos mantém um aspecto de grande beleza, parecendo quase fazer parte dum qualquer postal arquivado!
Enquadrado na zona do cais de embarque, emparelha com outros temas, de modo a quase ter-se conseguido uma visita integral por um território geográfico que nos cerca.
Até quando assim se manterão?
Não vejo à "minha volta" ninguém que com isto se preocupe, e poderá ficar  somente...na memória do Valado dos Frades!

Hélio Matias