1

1
Vento nunca levará a História e as memórias!

terça-feira, 31 de julho de 2012

Borda d´Água...Agosto


Mais um mês...mais uma preciosa colaboração do amigo Borda d´Água.
Há como sempre um manancial de conselhos e conceitos que o empirismo de décadas levaram a compilar!
Tudo certo?
Tudo errado?
Nem uma coisa nem outra, mas...alguma bem aproveitável!

Provérbios (alguns) de Agosto:

Em Agosto orvalho no rosto.
Em Agosto queima-se o carro e o carril.
O mês de Agosto será se for bonito o 1 de Janeiro.
Em Fevereiro chuva em Agosto uva.
Pelo S. Lourenço, vai à vinha e enche o lenço.
O Verão colhe e o Inverno come.
Agosto amadurece e Setembro vindime-se.
Quem não debulha em Agosto, debulha com mau gosto.
Agosto chuvoso, dá força à vida.
Em Agosto aguilhoa o preguiçoso e sê cuidadoso.
Em Agosto apanha macela, que livra da botica o uso dela.
Em Agosto ardem os montes e secam as fontes.
Em Agosto dá o sol pelo rosto.
Em Agosto deve o milho ferver o carolo.
Em Agosto espingarda ao rosto.
Em Agosto há bulha o preguiçoso.
Em Agosto malha a teu gosto.
Em Agosto palhas ao palheiro, meninas ao candeeiro.
Em Agosto secam os montes, em Setembro as fontes e o Outubro seca tudo.
Em Agosto toda a fruta tem o seu gosto.
Em Agosto vale mais vinagre que mosto.
Em Agosto, aguilhoa o preguiçoso.
Em Agosto, nem vinho, nem mosto.
Em Agosto, sardinha e mosto.
Em dia de S. Lourenço (10 de Agosto), vai à vinha e enche o lenço.
Junho, Julho e Agosto, senhora, não sou vosso.
Lá vem Agosto com os seus santos ao pescoço.
Lua nova de Agosto carregou, lua nova de Outubro trovejou.
Luar de Agosto, dá-lhe no rosto.
Luar de Janeiro não tem parceiro, senão o de Agosto, que lhe dá de rosto.


1º Jornal da Biblioteca Instrução e Recreio


Esta é a 1ª página do jornal nº 1, publicado pela B I R.
Aconteceu em 1988, é uma edição fotocopiada, é manifestamente um projecto que enferma de algumas dificuldades, certamente económicas, mas que tem uma grande virtude...pela primeira vez acontece no Valado um projecto deste género.
Folheá-lo traz-nos entrevistas, uma pequena história sobre a origem da B I R, um alinhavar de problemas colocados ao Valado, um espaço dedicado aos mais jovens, desporto, poesia e alguma publicidade a casas comerciais do Valado.
Certamente que os promotores desta ideia gostariam que ela ganhasse raízes e se consolidasse numa periodicidade interessante!
Um projecto desta natureza debate-se sempre com entraves de toda a ordem, e...essa periodicidade não tem sido conseguida.
É pena...o Valado continua sem um jornal...a semente está aqui.
Quando frutificará?

domingo, 29 de julho de 2012

Stick Bac


Em 30 Junho 1960, a revista Crónica Feminina "brindava" as suas leitoras com este sugestivo anúncio monocromo...a uma nova realidade que começava a dar os primeiros passos em Portugal!
Far-nos-á sorrir a esta distância, mas mais interessante é avaliarmos...por comparação, a profusão e a qualidade da publicidade parra os dias de hoje!
...e não se esqueça...peça sempre Bac!

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Arlindo Rodrigues Varela


Arlindo Rodrigues Varela nasceu no Valado no dia 20 de Maio de 1865, era filho do Prof. Rodrigo Varela, o 1º Professor da instrução primária no Valado.
Trabalhador, estudioso e inteligente, elevou-se até Professor da Escola Normal de Lisboa, onde era respeitado pelos seus colegas e alunos.
O mesmo respeito e consideração  lhe dedicavam os Valadenses, quando nas suas férias vinha à sua terra.
Conversava com todos, sempre com palavras simples para que o compreendessem.
Tinha como passeio matinal o Alto do Seixo, local preferido pela quietude que emanava - e aos seus pés pinheiros, urzes e rosmaninho, areia e seixos, para mais além se misturarem vinhas, oliveiras, cearas com papoilas.
Na meia encosta a aldeia do Valado e a seguir aos choupos do rio da Areia, que limitam o horizonte onde começam os vastos campos de milho, que chegam até à Maiorga e à Barca.
Foi neste cenário maravilhoso, onde o ar é puro e tudo é belo, que Arlindo Varela passou muitas horas, lendo, estudando e admirando as belezas da natureza.
Foi ele que designou o lema - "Luz, sempre mais luz" - que esteve na primeira bandeira da B I R.
Publicou livros que o tornaram muito conhecido no país.
BIBLIOTECA PEDAGÓGICA:
- Como Lina aprendeu a escrever e a ler;
- Autodidactica;
- A Pedagogia, o Estado e a Família;
- Princípios da Pedagogia Geral;
- Traços Gerais da História da Pedagogia;
- Resumo de Estatística;
- Exercícios de Análise Gramatical;
- Postilas Gramaticais para o Estudo da Língua Portuguesa;
- História Abreviada dos Descobrimentos e Conquistas dos Portugueses;
- Leituras Escolares (Colaboração de Silva Barreto)
Foi o tradutor do grande Educador italiano, PAULO MONTEGAZZA, de se destacam:
- Arte de ser Feliz;
- O ano 3000;
- Cartas de Psicologia Pedagógica;
- A Alma das Coisas;
- O Livro das Melancolias;
- O Amor;
- Pensamentos;
- Fisiologia do Belo;
- O Elogio da Velhice;
- No Mundo das Coisas Belas.
Arlindo Varela foi grande admirador de Latino Coelho, tendo reunido as poesias inéditas em livro a que deu o nome - "Latino Coelho - Poeta e Amoroso".
Foi ainda membro do Conselho Superior de Instrução Pública e Professor nas Escolas Centrais de Lisboa.
Faleceu em Lisboa no dia 22 de Outubro de 1934, tendo o seu corpo sido transportado para o Valado, onde se encontra enterrado no cemitério local.
Na Biblioteca Instrução e Recreio, em 28 de Julho de 1946, foi prestada uma Homenagem Pública ao Prof. Arlindo Varela, de que se publicou um opúsculo muito interessante focando precisamente a sua vida e obra - que colocarei neste blog.
O Prof. Arlindo Varela...foi uma figura ímpar do Valado!


sábado, 21 de julho de 2012

Simples


Por vezes descobrimos que afinal as coisas não são assim tão complicadas.
Ao ver a imagem...confirmamo-lo!

domingo, 8 de julho de 2012

Orçamento Geral da Junta Paroquial de Valado dos Frades 1878 - 1879


As imagens mostram o mapa do Orçamento Geral da Receita e Despesa da Junta de Paróquia da Freguesia de Valado dos Frades, para o ano económico 1878 a 1879.
Relativamente às receitas, verifica-se que elas provêm de cobrança de rendas, esmolas obtidas pelos Irmãos do Santíssimo Sacramento e ofertas nas festas.
As despesas são as que resultarem das compras  de vinho e hóstias para as missas, azeite e lamparinas, preparar as roupas, compra de cera, incenso, santos óleos, livros de registo, 2 missas obrigatórias e vencimento do escrivão.
No fim teríamos uma receita de Rs 20:215 e uma despesa de Rs 19:360, de que resulta um saldo de Rs 00:855.
Transferindo para a moeda corrente, seriam 10,10 cêntimos de receita, 9,68 cêntimos de despesa e o lucro seria de 0,42 cêntimos - quase meio cêntimo.
Estamos a comparar uma situação com mais de 130 anos de diferença...que diferença!
 

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Shampoo Sunsilk


A 30 Junho 1960, a Crónica Feminina, publicitava este shampoo!
Já colorido e simplista, hoje seria "adornado" por não sei quantos intervenientes nas mais dispares "atitudes"!
Por vezes...há exageros!