1

1
O vento nunca levará a História e as memórias!

sábado, 31 de março de 2012

Recorde de...Visitas.


O Valado dos Frades...bateu hoje o recorde de visitas!
Não sendo o objectivo, é no entanto gratificante verificar que os seguidores e amigos aumentam e procuram-no para se informar!
O Valado dos Frades vai manter-se fiel aos parâmetros que definiu, mostrando...história e "estórias" da trilogia Alcobaça - Valado dos Frades - Nazaré!
Obrigado...pela visita!

Quem é esta jovem?


quinta-feira, 29 de março de 2012

Canhão da Nazaré e Onda Gigante na Praia do Norte


Onda gigante, na praia do Norte e Garret McNamara


Mapa Batimétrico do Atlântico frente à Nazaré.
A linha dos 100 metros de profundidade vem até muito próximo da praia, mantendo-se até à zona dos Farilhões e Berlengas, aumentando depois para os 1000...2000...3000 metros.

Os canhões submarinos são vales cavados nas margens dos continentes e que funcionam como condutas de escoamento de sedimentos provenientes daqueles para as profundezas dos oceanos. Se não fossem cobertos por água, os canhões submarinos seriam paisagens de gargantas estreitas, vertentes inclinadas e formas sinuosas - em tudo semelhantes ao famoso Grand Canyon.
Mas a sua origem é uma incógnita, porque normalmente estas estruturas estão associadas a grandes rios, servindo de vazadouros dos seus sedimentos - o que não acontece, de forma imediata e aparente, no caso da Nazaré.
Há no entanto estudos que indicam a existência noutras eras geológicas, de um rio aqui, possivelmente o Mondego e que devido a movimentos tectónicos, poderá ter sido desviado para Norte.
O vale submarino começa a definir-se a cerca de 500 metros da costa ao largo da Praia da Nazaré, próximo do promontório do Sítio - com uma direcção EW.
O Canhão ou Cana da Nazaré é conhecido como o maior da Europa e um dos maiores do Mundo - com a cabeceira situada a curta distância da linha de costa, estende-se ao longo de mais de 200 km na direcção do oceano profundo.
A cabeceira do canhão – encontra-se a menos de 1 km a SW do Sítio da Nazaré e atinge a profundidade de 50 metros…a 211 km da cabeceira tem 4970 metros, onde atinge a planície abissal Ibérica.
Este autêntico «desfiladeiro» submarino influencia as espécies e os ecossistemas específicos do próprio canhão e o transporte de sedimentos das zonas costeiras para o largo – o canhão funciona como um gigantesco aspirador de areia que engole o areal da costa portuguesa, principalmente os sedimentos provenientes da costa a Norte da Nazaré, o que condiciona na formação de areais de menor dimensão a Sul daquela.
Por outro lado a proximidade da cabeceira do canhão à costa afecta as características da ondulação nas zonas pouco profundas adjacentes, como se atesta pelo significativo empolamento da onda na Praia do Norte, antes da zona de rebentação. Este fenómeno deve-se à interacção da ondulação com o bordo norte da cabeceira.
O aumento na altura da onda que se verifica a norte da cabeceira do canhão não se confirma a sul desta - a baía da Nazaré adjacente inverte o efeito do canhão, espalhando a onda.
O Canhão da Nazaré gera a afluência à superfície de águas ricas em nutrientes e plâncton, permitindo a presença de uma fauna bastante rica em espécies de interesse comercial.

www.nazare.oestedigital.pt/custompages/
www.publico.clix.pt/shownews.
www.freguesia-nazare.com
www.cm-nazare.pt/
http://praiadonorte.com.pt/nazare/canhao-da-nazare
http://websig.hidrografico.pt/www/content/documentacao/hidromar/

Hélio Matias

sexta-feira, 23 de março de 2012

sexta-feira, 16 de março de 2012

Collette


Numa pequena cidade da Borgonha, em França, nasce Sidonie Gabrielle Colette. Criada no campo, Colette casa-se com o escritor e critico Henri Gauthier-Villars e muda-se para a capital. É em Paris que Colette começa a escrever e publica uma série de romances picantes. Ao longo dos anos, Colette deixa para trás a jovem provinciana e torna-se uma sofisticada parisiense. Em 1903, tem aulas de representação e três anos depois começa a actuar. O casamento com Gauthier-Villars termina em 1910, o ano em que publicou O Vagabundo, baseado no fracasso do seu casamento.
Depois do divórcio, a escritora vive dos espectáculos de music-haíí, e envolve-se com duas mulheres. Primeiro, a escritora norte-americana Natalie Barney e, mais tarde, a actriz Josephine Baker. Colette actua no Moulin Rouge e paralelamente publica artigos e ensaios no jornal Lê Matin. Em 1912 casa-se com Henry de Jouvenel, editor do jornal, com quem tem uma filha, mas à qual nunca dá grande atenção, entregando-a aos cuidados de uma ama inglesa. 
É na década de 1920 que escreve Chéri, O Fim de Chéri e também uma ópera com música de Maurice Ravel. Durante a I Guerra transforma a casa do marido num hospital, o que lhe garante o reconhecimento do pais. Recebe a medalha de cavaleiro da legião de honra. Em 1924, a escritora divorcia-se depois de se saber de um "affaire" com o enteado, filho de Jouvenel. 
Volta a casar-se, desta vez com um homem mais novo, Goudeket Maurice, que esconde no sótão, durante a ocupação alemã de Paris, porque o marido era judeu. Colette ajudou muitos amigos judeus durante a II Guerra. Em 1944, escreve Gigi | (1944) considerado, por muitos, a sua obra-prima. 
Morre a 3 de Agosto de 1954 e tem um funeral de Estado.

in Público

sexta-feira, 9 de março de 2012

3 Fontes Emblemáticas do Valado


Este é um postal da 2ª série e por mim editado.
Reuni nele o que me parecem ser as 3 fontes mais emblemáticas:
- A Fonte de Baixo, incrustada na parede do que ainda não era a farmácia, era titulada por "quem bebesse água dela ficaria para sempre no Valado".
- A Fonte do Largo da Junta, com uma arquitectura muito específica era encimada por um vistoso candeeiro.
- A Fonte da rua Carlos O´Neill, ostentava certamente o aspecto mais interessante, com bonitos azulejos, tendo sido a que sobreviveu até mais tarde.
Num mesmo postal...tantas histórias! 

quinta-feira, 8 de março de 2012

Higiene no Valado - 1911


No dia 20 de Junho de 1911, a Comissão Paroquial Administrativa do Valado, enviou um ofício ao Presidente da Comissão Municipal do Concelho da Pederneira, dando a conhecer algumas preocupações da população Valadense, e que se prendiam com questões de higiene e salubridade.
Primeiro que haja editais informando ser proibido os carros do caranguejo que vêm da Nazaré, estacionem dentro do Valado, devido ao cheiro nauseabundo que os caranguejos, alguns já em decomposição, exalam.
Por outro lado há pessoas a fazerem despejos  ou "matar" cal nas pias onde o gado vai beber água - havia no Valado muitas vezes na proximidade das fontes pias que recebiam excedentes de água, onde eram levados os animais principalmente as vacas, para se dessedentarem.
É interessante verificar como a Comissão Paroquial pedia a intervenção da Comissão Municipal, demonstrando zelo e sentido de responsabilidade para acções que conduzissem ao bem estar e saúde dos seus conterrâneos.
Estas preocupações vistas à distância de mais de cem anos...são um bom exemplo para hoje!

 

quinta-feira, 1 de março de 2012

Melhor Aula de Inglês

Um amigo fez-me chegar este post...desculpem...mas não resisti a publicar!


- Classe, hoje eu quero que vocês pensem palavras, em inglês, que usamos, sem traduzirem e façam mímica, para que seus colegas adivinhem a palavra que pensaram, ok?.. (sugere a professora)
Julinha foi a primeira.
Andando, como se olhasse vitrines e segurasse sacolas, arrancou da classe um sonoro
"SHOPPING CENTER!!!"
- Muito bem, Julinha!.. (diz a professora).
Carlinhos abocanha um lanche imaginário e, novamente, a classe responde..
"HAMBURGER!!!"
- Muito bem, Carlinhos!.. (elogia a professora).
Joãozinho, visivelmente animado, pega seu livro e acerta em cheio o rosto do colega sentado ao lado...
A classe, surpresa, olha sem entender, enquanto a professora irritada pergunta ..
- O que significa isso, Joãozinho???
E ele, com um sorrizinho amarelo...
- FACEBOOK!...

Tucano de Bico Preto


in Público