1

1
Vento nunca levará a História e as memórias!

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Borda D´Água...Março 2012


Começo de novo mês e o indispensável Borda D´Água aqui está para uma prestimosa colaboração.
Curiosas 2 informações...Porto os dias vão aumentar mais 6 minutos que em Lisboa! e por outro lado...Em Março tanto durmo como faço!
Certamente terá que ver com o ditado...Março Marçagão, de manhã Inverno e de tarde Verão!
Estamos cá...para ver!

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Maior Flor do Mundo



in Público


Quioto e...Desculpas de mau Pagador!



Quioto, o "projecto mundial" climático.
Fez sete anos que está em vigor o único tratado internacional de combate às alterações climáticas. 
Foi a 16 de Fevereiro de 2005, depois de oito anos de intensas negociações entre dezenas de países para afinar qual a forma mais consensual para conseguir uma redução de 5% das suas emissões de gases com efeito de estufa (GEE), em relação aos níveis de 1990, até 2008-2012. 
A cerimónia que marcou a entrada em vigor do protocolo climático foi celebrada na cidade japonesa de Quioto, onde este foi assinado a 11 de Dezembro de 1997. Kof i Annan, então secretário-geral da ONU, lembrou que Quioto é "um verdadeiro projecto mundial" para lutar contra o sobreaquecimento planetário.
Mas nem todos subiram a bordo deste barco!
Os Estados Unidos foram a ausência mais sentida. E naquele dia, exactamente há 7 anos, mais de 300 ecologistas desfilaram nas ruas de Quioto, exortando o Presidente George W. Bush a "escutar a Terra e não os seus homens de negócios". Na verdade, este nunca foi um acordo pacífico. Os países em desenvolvimento alegam que a responsabilidade climática cabe aos países industrializados e estes salientam que, sozinhos, nunca poderão fazer a diferença.
Valerá a pena a luta ambiental?!
Claro que sim, mas o ridículo é quem mais polui...acha que os outros têm de dar o exemplo!
Ou a Terra vai encontrando e gerindo sistemas de auto defesa...ou então!... 

in Público
 

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Quem é este jovem?


Não sei, mas não me admiraria se continuasse a gritar!
...Agora contra os estudantes...que gritam!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Thomas Malthus



Nasce Thomas Malthus, pai da demografia
O artigo estava intitulado: Um ensaio sobre o princípio da população e sua influência sobre o melhoramento futuro da sociedade, com observações sobre as especulações do sr. Godvrín, marquês de Condorcet e outros autores [tradução livre]. 
Hoje, dificilmente algum leitor passaria desta fastidiosa e cinzenta enunciação. Mas estávamos em 1798 e havia muito para descobrir por trás do título.
Um economista britânico desferia uma machadada na visão optimista do mundo que dominava o pensamento da época. Thomas Maltus nasceu a 14 de Fevereiro de 1766.
0 raciocínio elementar de Malthus era: a população humana, movida pelo instinto básico da procriação, tem tendência para crescer geometricamente (2,4, 8,16...), enquanto os recursos agrícolas só o podem fazer, na melhor das hipóteses, de forma aritmética (l, 2,3,4,5,6...).
Ou seja, em vez de um futuro risonho, como anteviam autores em moda na viragem para o século XIX (William Godwin, o marquês de Condorcet ou até, numa perspectiva mais lata, Jean-Jacques Rousseau), a humanidade caminhava para um futuro de f orne e miséria. O número total de seres humanos seria sempre ditado pela quantidade de alimentos disponível.
Já no século XXI, este pessimismo civilizacional, digamos assim, parece fazer sentido. Sendo religioso, Malthus via neste desfecho inevitável um sinal divino para que as pessoas adoptassem uma vida regrada. 

in Público

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Aposta


Vai um desafio?
Em que lugar chegou este atleta?
O Valado dos Frades...não dá sugestões!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Facebook



Em Fevereiro de 2004, Mark Zuckerberg era estudante em Harvard e criou a primeira versão do Facebook. Nesta fotografia, tirada a 14 de Maio, no dia em que fez 2O anos, Zuckerberg, descalço como era frequente, está com Chris Huges, outro dos quatro co-fundadores.
Zuckerberg chegou à Universidade de Harvard, para estudar Informática, já com uma aura de programador brilhante. Pouco antes, tinha programado um sistema inteligente de recomendação de música que tanto a Microsoft como a Aol tentaram comprar. Recusou, tal como mais tarde recusou os mil milhões de dólares que o Yahoo ofereceu pelo Facebook - tendo em conta a entrada em bolsa que se avizinha, teria sido um péssimo negócio.
Os tempos de estudante universitário durante os quais decidiu criar um site simples para conhecer pessoas do campus são os mais nebulosos. 
Um grupo de colegas acusou-o de sabotar os planos para o lançamento de uma rede social e de se ter apropriado da ideia.
Ainda em 2004, Zuckerberg decidiu transformar o site numa empresa e rodeou-se de executivos experientes que, nos primeiros tempos, eram despedidos em questão de meses.
O site, inicialmente destinado apenas a Harvard, foi-se abrindo: primeiro a estudantes universitários, depois a estudantes de liceu, depois a algumas empresas e, por fim, a todo o mundo. 
Vai a caminho dos mil milhões de utilizadores.
A empresa está agora a preparar uma oferta pública de venda, que deverá permitir um encaixe de cinco a dez mil milhões de dólares.
Mark Zuckerberg tem um controlo absoluto do Facebook. É dono de 28,4% das acções, mas controla mais de metade dos votos. Todas as decisões estratégicas passam por ele e até pode nomear em testamento um sucessor.

in Público

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Vai uma Ajuda?!


Os mais fortes apoiam os mais fracos!
A vida é difícil!
Mas por vezes nós...não colaboramos!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Mahatma Gandhi



Passou décadas a defender a não violência, mas não morreu de forma pacífica. Mohandas Karamchand Gandhi era já mais conhecido como Mahatma (Grande Alma) Gandhi quando, a 30 de Janeiro de 1948, um extremista hindu se aproximou para matar o fundador do Estado indiano.
Nathuram Godse considerava Gandhi responsável pelo enfraquecimento do novo Governo ao insistir no pagamento de certas dívidas ao Paquistão, território que se tinha separado da índia depois da independência da coroa britânica, no ano anterior.
A violência da divisão e o banho de sangue entre hindus e muçulmanos que se lhe seguiu levaram Mahatma a fazer mais uma greve de fome. Estava numa vigília em Nova Deli quando foi assassinado com vários tiros.
O seu corpo foi cremado e as cinzas lançadas ao rio Ganges.
Gandhi ainda teve tempo de pedir que Godse fosse perdoado, mas não aconteceu: foi julgado, condenado e enforcado.
De Gandhi ficou o principio de satyagraha, ou caminho da verdade, para inspirar vários políticos e activistas pró-democracia, como Nelson Mandela, que lutou contra o apartheid na África do Sul, ou Martin Luther King, o líder do activismo contra a segregação racial nos EUA. 

in Público

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Onde Deus criou uma Igreja...


Lutero vê para o planeta um sentido de "equilíbrio" e compensação.
Penso que...só ele!

domingo, 5 de fevereiro de 2012

La Bohème de Puccini




Um poeta (Rudolf), um pintor (Marcello), um musico (Schaunard) e um filósofo (Colline) procuram fama, fortuna e os prazeres da vida na Paris do século XIX, mas a sua existência ficará marcada pela tragédia quando Mimi, a bela costureira por quem Rudolf  se apaixona, morre de tuberculose numa mansarda do Quartíer Latin.
Mais do que pela novela de Henry Murger Scènes de Ia vie de Bohème (inspiradora do libreto de Giuseppe Giacosa e Luigi Illica), estas personagens foram imortalizadas pela ópera de Giacomo Puccini, uma das mais populares junto do grande público e um dos pilares fundamentais do reportório lírico italiana Estreada a l de Fevereiro de 1896 no Teatro Régio de Turim, sob a batuta do grande maestro Arturo Toscanini.
La Bohème começou por ter uma recepção mista por parte do público e da critica. A assistência foi em geral mais entusiasta do 1° e do 4° acto do que dos restantes e alguma crítica considerou que se tratava de um passo atrás depois de Afanou Lescauí. No entanto, a obra começou a circular rapidamente (pouco depois foi apresentada em Bolonha, Roma, Veneza e Palermo, seguindo-se Paris, Londres e outras cidades europeias) e o sucesso nunca mais parou.
Com uma dramaturgia que faz um apelo forte as emoções do espectador e marcada por inovações ao nível da linguagem harmónica e da orquestração, La Bohème causou reservas a Verdí, que achava que Puccini se devia "abster de certos efeitos contrários às leis da harmonia'' e a admiração de Debussy, que confessou a Manuel de Falia que ninguém soube descrever Paris melhor do que Puccini.

in Público

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Carlos O´Neill

 

Carlos O´Neill era descendente de famílias nobres.
O seu pai era sobrinho dos Reis da Irlanda, e daí talvez a razão da intimidade que o Rei D. Carlos I tinha com um seu irmão.
Carlos O´Neill foi casado com Guilhermina Iglésias e após o falecimento desta, com a sua irmã Dolores Iglésias.
Ao longo da vida teve sempre uma atitude caridosa para quem dele se abeirava, fazendo-o com recato, já que detestava a exposição.
Frequente era perdoar aos seus rendeiros as rendas, quando a vida não lhes corria bem.
Manteve-se como "senhor" da Quinta do Campo, até ao seu falecimento, em 10 de Janeiro de 1932.
Entre 1910 - 1930, suportou as despesas do pároco e da igreja..
A festa da Comunhão, foi durante 40 anos da sua iniciativa, bem como o lauto almoço que no átrio da Quinta era servido a todas as crianças.
É mercê dum donativo seu que é criada uma Escola do Ensino Feminino.
Atento às necessidades da população, oferece 40 manilhas de ferro para a reparação dum marco fontanário.
São inúmeras as "atitudes" de benemerência...como verdadeiro filantropo!