1

1
Vento nunca levará a História e as memórias!

sábado, 19 de agosto de 2017

Alcobaça - Feira de S. Bernardo...é amanhã.


É a 1ª feira de S. Bernardo a seguir ao 25 de Abril de 1974.
Se compararmos com outros cartazes anteriores e talvez mesmo depois, nenhum se enquadrou melhor com os novos tempos que se viviam em Portugal.
Poderemos até dizer que este não era um programa da feira, mas antes...uma alegoria ao 25 de Abril.
Que se vê na imagem que nos elucide sobre a feira?!...nada, a não ser a palavra...feira!


Talvez um dos mais interessantes e apelativos cartazes a publicitarem a Feira de S. Bernardo.
Alcobaça tem como seu feriado municipal o dia 20 Agosto, e também nesse dia se inaugura e começa a sua feira que se estende por cerca de 8 dias.
Como todas as feiras, também a de S. Bernardo tem evoluído no tempo...modernizando-se(?!)...e indo a pouco e pouco substituindo o seu cariz de feira a mostrar o que da região é, para ir mostrando algumas situações que nada têm que ver com Alcobaça.
O cartaz da imagem está "montado" tendo como fundo uma reprodução da Chita de Alcobaça, que tal qual a famosa Ginja é um "cartão de visita" de Alcobaça.
Alcobaça começa a estar na "crista da onda", quando para além desta feira anual temos de acrescentar...os Doces Conventuais...os Pastéis de Nata!


Hélio Matias

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Nazareth...Praia de banhos

Verão de 1925


Esta é a praia da Nazaré de há muitas décadas!
Muita gente como de costume...uma beira mar superlotada e as barracas mantendo um estilo que ainda hoje se mantém...simplesmente deixaram de ser "obrigatoriamente" em branco, para se vislumbrarem hoje num multicolorido que talvez quebre um pouco a monotonia visual da paisagem.
Na imagem debaixo e no início da barreira do Sítio, parece já estar instalada a casa de madeira onde um fotógrafo fazia as delícias da família...para mais tarde recordar...
Na imagem de cima um aspecto mais abrangente com um movimento enorme numa zona que era reservada no Verão aos barcos e apetrechos de pesca, "lá ao Sul"...atente-se na riqueza que a Nazaré desfrutava por esse tempo...1925!
Era um pouco assim!...

Hélio Matias

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Rotunda que faz diferença...em Alcobaça



Procurei "dar" um pouco mais de espaço à 1.ª foto, para nos possibilitar fazer o confronto com a outra que terá menos 100 anos!
Para além da urbanização envolvente...da presença dum portão de acesso ao Hospital...a ausência da rotunda é talvez a grande diferença!
Diferença(?)...mas se nem um simples automóvel está à vista...para quem era ela?
Tempos muito...muito dispares!


Hélio Matias

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Entreter pessoas


Há muitas vezes a dificuldade de conseguirmos passar a outrem uma mensagem e descortinar o modo de as interessar!
Só nos resta...ouvi-las!

in Público


Hélio Matias

Regimento de Artilharia - Alcobaça


Por alguns comentários e pedidos que leitores deste blog me fizeram chegar, coloco mais alguns "apontamentos" sobre a presença de forças militares em Alcobaça.
Em 31 de Outubro de 1844, por decreto foi criado em Alcobaça o Regimento de Cavalaria 9, o qual permaneceu cerca de quinze anos e deixou "saudades" na vida Alcobacense!
Depois estiveram aquartelados os Regimentos de Artilharia 1 e 2 e o Regimento de Cavalaria 4.
Há notícias ainda que em 11 de Janeiro de 1919, oficiais revoltosos do Regimento de Artilharia 1, aquartelado em Alcobaça, juntamente com civis armados, tomaram conta do quartel, prenderam o comandante e alguns oficiais, e seguiram para Santarém a fim de se juntarem a um movimento revoltoso de influência monárquica.
A imagem mostra um desfile do Regimento de Artilharia.
É uma perspectiva não muito referenciada de Alcobaça...e é pena!

Nova, Bernardo Villa e Nova, Silvino Villa - Breve História de Alcobaça


Hélio Matias

domingo, 13 de agosto de 2017

Nazaré...Viagem!


Lavadeiras que estão a chegar à Nazaré...vêm do rio de Longe a 5 Kms.
Este postal circulou de Alcobaça para França em 8 Agosto 1964.

Começou de certeza e logicamente, por ser um centro de atracção turística com âmbito regional...estendendo-se desde sempre à grande "colónia" Ribatejana (muitas famílias fixaram-se em definitivo na Nazaré).
Mas as décadas de 1950/1960...marcam a "internacionalização" turística da Nazaré e aqui...os Franceses são sem dúvida os grandes "contribuintes"!
Lógico também que os bilhetes postais tenham circulado em maior percentagem  para  França.
Periodicamente irei "perseguir" estas viagens "aqui"!

Barco da Arte xávega a entrar no mar.
Este postal circulou da Nazaré para Lisboa em 15 Outubro 1947

Hélio Matias

Caldeirão tomado aos Castelhanos - Mosteiro de Alcobaça

Caldeirão que se encontra na Sala dos Reis do Mosteiro de Alcobaça.
A quando da batalha de Aljubarrota, foram tomados aos Castelhanos 3 caldeirões, que serviriam para a confecção de comida para o invasor.
No caldeirão maior, quando estava na cozinha do Rei de Castela, conseguia-se fazer comer para cerca de 293 criados do rei.
Segundo M. Vieira Natividade, quando mostraram a Filipe III os caldeirões tomados em Aljubarrota, um dos fidalgos espanhóis aconselhou o rei a que os fundisse e mandasse fazer sinos...de que o próprio Mosteiro precisava.
Respondeu o rei:
"Deixai-os estar, porque se assim ainda fazem tanto "barulho", sob a forma de sinos ficaríamos surdos: Deixai-os estar, porque são os troféus por onde um verme pode mostrar que pode subjugar um leão".
Há uma "leitura heróica" que a História não quis deixar perder!
Mudaram-se os tempos e...os caldeirões até já caíram em desuso!

Nova, Bernardo Villa e Nova, Silvino Villa - Breve História de Alcobaça

Hélio Matias